Subsedes

O grupo Teoria Crítica conta com oito Instituições Sedes

O Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação atualmente desenvolve suas investigações científicas em oito Instituições Sedes: 1) na UFSCar, desde 1991, com os pesquisadores Antônio Álvaro Soares Zuin e Luiz Roberto Gomes; 2) na UNIMEP, desde 1996, com os pesquisadores Bruno Pucci, Belarmino Cesar Guimarães da Costa, Nilce Maria A. S. de Arruda Campos e Ana Carolina K. Barcellos; 3) na UNESP-Araraquara, desde 2000, com os pesquisadores Renato Bueno Franco, Luiz Antonio Calmon Nabuco Lastória e Ari Fernando Maia; 4) na PUC-Minas, desde 2006, com as pesquisadoras Rita Amélia T. Vilela e Magali Reis; 5) na UFES, desde 2010, com o pesquisador Robson Loureiro;  6) na UFLA, desde 2012, com os pesquisadores Luciana Azevedo Rodrigues e Carlos Betlinsky; 7) na USF, desde 2016, com a pesquisadora Luzia Batista de Oliveira Silva e Allan da Silva Coelho; 8) na UNESC, desde 2017, com o pesquisador Alex Sander da Silva. Em cada Instituição Sede se desenvolvem grupos de pesquisas específicos, vinculados ao Grupo Teoria Crítica e Educação. Além dos docentes das Instituições Sedes, fazem parte do Núcleo-Base do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação os docentes Luiz Hermenegildo Fabiano e Robespierre de Oliveira, ambos da UEM-PR.

Sede Institucional da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Pequeno Histórico

O grupo: “Teoria Crítica e Educação – UFSCar” desenvolve atividades de estudos e pesquisas na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desde o ano de 1997. Este grupo é um desdobramento do grupo “Teoria Crítica e Educação”, fundado na UFSCar em agosto de 1991. Formado por pesquisadores e estudantes da UFSCar, o grupo: “Teoria Crítica, Educação – UFSCar” investiga as contribuições de pensadores da chamada Teoria Crítica para a educação. A identificação do grupo como referência nacional nesta temática pode ser constatada por meio da seguinte produção acadêmico-científica: 1) Publicação de dezenas de livros, capítulos de livros e artigos publicados em periódicos indexados; 2) A organização de dezenas de livros; 3) Elaboração de várias traduções, sobretudo do original alemão e a publicação de algumas dessas traduções em livros e artigos de periódicos indexados; 4) Apresentação de centenas de trabalhos em congressos científicos; 5) Quatro trabalhos de iniciação científica premiados em congressos de iniciação científica; 6) Apoio do CNPq (Realização de eventos, Bolsa Produtividade em Pesquisa, Bolsas de Doutorado e Iniciação Científica), da FAPESP (Realização de eventos, Auxílio à Pesquisa, Auxílio Publicação e Pós-Doutorado no Exterior) e da CAPES/DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico- Bolsa/Pesquisador); 6) Dezenas de orientações de iniciação científica, mestrado e doutorado concluídas; 7) Participação na organização de dezenas de eventos, com destaque para os Colóquios Nacionais sobre Teoria Crítica e Educação realizados na UNIMEP e com apoio da UFSCar e da UNESP-Araraquara; 8) Realização do Congresso Internacional: “Teoria Crítica e Inconformismo: tradições e perspectivas” que ocorreu no período de 8 a 12 de setembro de 2008 na Universidade Federal de São Carlos e recebeu apoio da FAPESP, CAPES, CNPq e PPGE-UFSCar; organização do Congresso Internacional “Tecnologia, Violência e Memória”, em 2016, na Universidade Federal de São Carlos; 9) Participação na realização do VII Congresso Internacional de Teoria Crítica: Natureza, Sociedade: crises, na Unicamp, em setembro de 2010, com apoio do CNPq, Capes e Fapesp. 10) participação na organização do VIII congresso internacional da UNESP.

Participantes

Antônio A.S.Zuin (Coordenador), Luiz Roberto Gomes (Vice-Coordenador) e Newton Ramos de Oliveira (In Memoriam), Darlan Marcelo Delgado (Pós-doutor), Alessandro E.Oliveira (Doutor), Janaina Roberta dos Santos (Doutora), Renato Crioni (Doutor), Artieres Estevão Romeiro (Doutor), José Roberto Lemos (Doutor), José Eduardo Balikian (Doutor), Ana Carla S. Batista (Doutor), Marsiel Pacífico (Doutor), Rosiane Maria Silva (Doutor) e Antonio Igo Barreto Pereira (Doutor), Elvis Francis Furquim de Melo (Doutor), Marcelo Garcia Navarro (Doutor), Marcelo Alexandre dos Santos (Doutor), Lucy Mary Valentim (Doutora), Camila Perez (Doutora), Ana Helena Lopes (Mestre), Paulo Rogério da Silva (Doutor), Drieli Gingarelli (Mestre), Paula Siqueira (Mestre), David Silva Bet (Doutor), Karen de Cássia Silva (Mestre), Leonardo Henrique Brandão Monteiro (Doutorando), Natália Menin (Mestranda), Yara Magalhães (doutoranda), Rosângela Trabuco Malvestio da Silva (Doutora), Erika Giacometti (Doutora), José Paulo Gatti (Doutor), Marcelo Garcia Navarro (Doutor), Nilo Agostini (Pós-doutor), Sandra Olades (Doutoranda), Guilherme Rotinberg (Doutorando), Ivone Tavernard (Doutoranda), Rodrigo Ferreira Telles (Doutorando), Helga Caroline Peres (Doutoranda), Mariana Bergo (Doutoranda), Edson Guilherme Souza (Mestrando), Géssio Morineto (Graduando), Ana Paula de Sá (Pós-doutoranda).

Encontros/Reuniões

Reuniões quinzenais, realizadas na sexta-feira, das 14 às 16 horas no edifício AT2 da UFSCar.

Outras Informações

 

Atualmente, as temáticas de pesquisa articulam-se em torno de dois eixos principais:

1 O YOUTUBE E A IMAGEM DO PROFESSOR: DILEMAS DA AUTORIDADE PEDAGÓGICA EM TEMPOS DA CULTURA DIGITAL (Pesquisador coordenador responsável: Prof. Dr. Antonio A. S. Zuin) 
O projeto de pesquisa tem, como principal objetivo, investigar o modo como o conceito de autoridade pedagógica se atualiza, por meio da análise das manifestações dos alunos e dos professores postadas no YouTube, o que implica pesquisar e refletir sobre as transformações da imagem do professor em tempos da chamada cultura digital. Seguindo esta linha de raciocínio, tem-se, como hipótese de trabalho, que, em tempos da cultura digital, a relações de poder entre alunos e professores, expostas espetacularmente no YouTube, fomentariam a redefinição do conceito de autoridade pedagógica. Na sociedade da cultura digital, na qual a pressão para emitir a própria imagem compele os indivíduos a se exporem de forma inaudita, os professores e alunos manifestariam o que pensam da profissão de ensinar numa espécie de arena ciberespacial, diferentemente dos acordos tácitos que caracterizavam as relações de poder de tais agentes nos tempos em que prevalecia o denominado currículo oculto. 
 
2) “Teoria Crítica e Formação Ético-política (Pesquisador Coordenador Responsável: Prof. Dr. Luiz Roberto Gomes)
Com base na hipótese de que há, necessariamente, uma relação intrínseca entre política e formação, o objeto delimita-se em vários programas de investigação, circunscritos em torno de três questões fundamentais de pesquisa: a) sendo a dimensão política inerente ao conceito de Bildung (formação cultural), como tal dimensão se constitui na sociedade? b) Que participação e/ ou responsabilidade teria a instituição escolar na formação política da sociedade? c) como a aula, ao tematizar a questão política inerente à formação cultural, materializa-se como instância didática de ensino, educação e formação?
Contato

Antônio A. S. Zuin
dazu@ufscar.br
Luiz Roberto Gomes
luizrgomes@ufscar.br

Sede Institucional da Universidade Estadual Paulista (UNESP-Araraquara)

Pequeno Histórico

O Grupo de Estudos e Pesquisas Teoria Crítica: Tecnologia, cultura e formação foi criado por iniciativa do Prof Dr. Renato Franco na FCL UNESP Araraquara, no Departamento de Antropologia Política e Filosofia do Curso de Ciências Sociais, no final de 2000. Iniciou efetivamente suas atividades no ano seguinte. Em seu trajeto, assimilou o GEP Indústria Cultural e Educação, também da UNESP. Promove reuniões semanais de estudo em todos os semestres letivos, estimulando a disseminação da Teoria Crítica no país e a formação de pesquisadores acadêmicos capazes de adotar de forma consequente tal prisma teórico.

O GEP Teoria Crítica: tecnologia, cultura e formação da FCL UNESP Araraquara é associado ao GEP Teoria crítica e educação, sediado na UNIMEP (Piracicaba), na UFSCAR (São Carlos), na UNICAMP (Campinas), com o qual partilha atividades científicas e acadêmicas, além da organização de eventos científicos.

Objetivos:

Voltado ao estudo das obras de Max Horkheimer, Theodor Adorno, Walter Benjamin e Herbert Marcuse, tem como objetivo fundamental tanto o exame rigoroso dos conceitos e das concepções elaboradas por esses autores quanto a gestação de uma atitude teórica capaz de conferir atualidade a tais teorias e de estabelecer um prisma metodológico-analítico apto a oferecer interpretações originais sobre as várias dimensões da sociedade brasileira na era da mundialização da economia e da cultura.

Resultados

Em conjunto com o Grupo Teoria Crítica e Educação, o GEP Teoria Crítica: tecnologia, cultura e formação desenvolveu inúmeras atividades de produção científica na área, entre as quais :
1) – Organização de quatro Colóquios Nacionais e quatro Congressos Internacionais;
2)- Publicação de 24 livros; 3) Realização de três edições do simpósio Indústria Cultural e Educação (SINCE),na FCL UNESP Araraquara, os quais deram origem a dois livros. 4) Articulação com Grupos de Pesquisa da Universidade de . Leipzig e Univ. Frankfurt, DE; na Alemanha. 5)-Apoio institucional: CNPq,FAPESP, VUNESP, CAPES, FUNDUNESP 6)-Desenvolvimento de pesquisas no GEP da UNESP: 30 trabalhos de iniciação científica, 8 mestrados, 8 doutorados.

Linhas de Pesquisa:

1-Tecnologia e produção cultural na época da globalização. Esta linha de pesquisa tem como objetivo analisar os impactos da tecnologia na produção cultural, identificando as transformações ocorridas nesse campo de atividades.

2-Arte cultura e sociedade. O objetivo dessa linha de pesquisa é o de analisar as complexas relações entre produção artística e sociedade, considerando a forma estética como conteúdo social sedimentado.

3-Teoria crítica: análise social e psicanálise. O objetivo dessa linha de pesquisa é investigar as transformações da subjetividade no capitalismo tardio e seus novos modos de produção, enfocando assim as relações entre o indivíduo e a sociedade..

4-A tecnologia como processo. O objetivo dessa linha de pesquisa é o de analisar e caracterizar o processo tecnológico em suas diferentes nuances, considerando-o como típico do capitalismo e como processo de dominação.

Pesquisadores permanentes: Renato Bueno Franco (Líder); Luiz Antonio Nabuco Calmon Lastoria (Vice-Lider); Raul Fiker; José Pedro Antunes.

Pesquisadores associados: Márcio Benchimol Barros; Débora Cristina de Carvalho; João Mauro Gomes Vieira de Carvalho; Juliana Rossi Duci; Luis Frenando Altenfelder de Arruda Campos.

Pesquisador convidado: Bruno Pucci;

Colaborador estrangeiro: Mateu Cabot Ramis

Estudantes

Doutorandos: Elaine Cristina Scarlatto; Giuliana Sorbara Ferreira;
Mestrandos: Elaine Cristina Moraes Santos; João Mauro Gomes Vieira de Carvalho;
Graduandos: Diêgo Valério de Godoy Delmônico; Igor Lula Pinheiro Silva; Lucas Paolillo Barboza; Aline Shaaban Soler; Marcelo Henrique Martins;

Contato

Luiz A. Calmon Nabuco Lastória
lacalmon@uol.com.br
Renato Bueno Franco
rbfrancoforte@hotmail.com

Sede Institucional da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP – Piracicaba)

Pequeno Histórico:

A UNIMEP se tornou a segunda Sede Institucional do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação, em março de 1997, com a aposentadoria de Bruno Pucci, na UFSCar, e seu ingresso como docente e pesquisador na UNIMEP. O GP em Piracicaba inicialmente foi constituído pelos pesquisadores Belarmino Cesar Guimarães da Costa, Luiz Antônio Calmon Nabuco e os mestrandos do PPGE/UNIMEP, Hudson Gomes, Paulo Ricardo de Souza, Roberto Rondon, Mariella Martins e Paulo Bereoff.

Em junho de 1998, foi realizado o I Colóquio Nacional do Grupo de Pesquisa, na UNIMEP, com o título O Ético, o Estético, Adorno, Campus Taquaral, com 05 Conferências e 31 Comunicações Científicas, com 120 pesquisadores inscritos e cerca de 150 participantes e com o apoio financeiro da FAPESP. Os conferencistas foram os professores doutores Newton Ramos-de-Oliveira (UNESP/Araraquara)– Conferência de Abertura; Rodrigo Antônio de Paiva Duarte (FAFICH/UFMG); Ramon Peña Castro (UFSCar); Jeanne Marie Gagnebin (UNICAMP/PUC-SP); e Osvaldo Giacóia Junior (UNICAMP). Os dois livros referentes ao I Colóquio Nacional foram editados em 2001: 1). Pucci, Bruno; Costa, Belarmino C. G. da; Lastória, Luiz A. C. N. (Orgs.). Teoria Crítica, ética e educação. Campinas/Piracicaba: Autores Associados/Editora da UNIMEP/FAPESP, 2001.2). Pucci, Bruno; Ramos-de-Oliveira, Newton; Zuin, Antônio A. S. (Orgs.). Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas/Piracicaba: Autores Associados/Editora da UNIMEP/FAPESP, 2001.

Em março de 2000, o GP Teoria Crítica e Educação organizou, na Sede Institucional da UNIMEP, Campus Taquaral, o II Colóquio Nacional intitulado Dialética Negativa, Estética e Educação, com 05 conferências, 04 mesas-redondas, 55 Comunicações, 150 inscritos e 200 participantes, com o apoio financeiro da FAPESP. Os conferencistas foram os professores doutores Rodrigo Duarte (UFMG) – Conferência de Abertura; Christian Hamm (UFSM); Renato Bueno Franco (UNESP/Araraquara); Jeanne Marie Gagnebin (UNICAMP/PUC-SP); Osvaldo Giacóia Junior (UNICAMP).  Das 4 Mesas Redondas participaram os doutores: 1.  Pedro Görgen (UNICAMP); Eldon Henrique Mühl (Univ. Passo Fundo, RS); Amós Nascimento (UNIMEP);2. Antônio Álvaro Soares Zuin (UFSCar); Bruno Pucci (UNIMEP); Leon Crochick (USP/SP); 3. Ernani Chaves (UFPA – Belém); Imaculada Kangussu (UFMG-Univ. de Ouro Preto); Carla Damião (UNICAMP); 4. Newton Ramos-de-Oliveira (UNESP/Araraquara); Renato Bueno Franco (UNESP/Araraquara); Raul Fiker (UNESP/Araraquara). Em 2007, foi editado o livro referente a este II Colóquio Nacional: Pucci, Bruno; Franco, Renato; Goergen, Pedro (Orgs.). Dialética Negativa, Estética e Educação. Campinas: Alínea, 2007.

Em maio de 2002, organizamos o III Colóquio Nacional Tecnologia, Cultura e Formação … ainda Auschwitz, na Sede Institucional da UNIMEP, Campus Taquaral, com 05 conferências, 04 mesas redondas, 52 comunicações científicas, 180 inscritos e cerca de 220 participantes, com o apoio financeiro da FAPESP. Os conferencistas foram os professores doutores:  Gabriel Cohn (USP-SP) – Conferência de Abertura; Osvaldo Giacoia Junior (UNICAMP); Paulo Arantes (USP-SP); León Crochik (USP-SP); Iray Carone (USP-SP). Das 4 Mesas Redondas participaram os doutores: 1. Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória (UNIMEP); Antônio Álvaro Soares Zuin (UFSCar); Renato Franco (UNESP-Araraquara); 2. Isabel Maria Loureiro (UNESP-Marília); Wolfgang Leo Maar (UFSCar); Jorge de Almeida (USP-SP); 3. Dennis de Oliveira (UNIMEP); Eneus Trindade (UNIMEP); Belarmino Cesar G. da Costa (UNIMEP); 4. Jeanne-Marie Gagnebin (UNICAMP/PUC-SP); Márcia Tiburi (UNISINOS/UNILASSALE); Ernani P. Chaves (UFPA). O livro publicado referente ao III Colóquio Nacional: Pucci, Bruno; Lastória, Luiz Antônio Calmon Nabuco; Costa, Belarmino Cesar Guimarães da (Orgs.). Tecnologia, Cultura e Formação … ainda Auschwitz. São Paulo: Cortez Editora, 2003.

Em agosto de 2003, por ocasião do centenário do nascimento de Theodor Adorno, realizamos na UNIMEP, Campus Taquaral, o evento científico 100 Anos de Theodor W. Adorno: Colóquios, com apoio da FAPESP e com a participação dos seguintes conferencistas: Christoph Türcke (Universität Leipzig, DE); Marcos Nobre (UNICAMP); Susana Kampff Lages (UNICAMP); Jorge de Almeida (USP-SP); e Mônica do Amaral (UNESP-Araraquara). Nesse mesmo ano de 2003, Nilce Maria Altenfelder S. de Arruda Campos doutorou-se em Educação, no PPGE/UNIMEP, e começou a fazer parte dos doutores pesquisadores do Grupo de Pesquisa.

Em setembro de 2004, realizou-se o primeiro evento internacional do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação: IV Colóquio Internacional Teoria Crítica e Educação, na UNIMEP, Campus Taquaral, com 04 conferências, 03 mesas-redondas, 80 comunicações científicas, 20 pôsteres, 210 inscritos e cerca de 250 participantes, com apoio da FAPESP. Os conferencistas foram os professores doutores: Osvaldo Giacóia Junior (UNICAMP) – Conferência de Abertura; Andreas Gruschka (Universität J.W. Goethe – Frankfurt); Ilan Gur-Ze’ev (Univ. de Haifa, Israel); Roberto Schwarz (USP/SP). Das 4 Mesas Redondas participaram os doutores: 1. Alexandre Fernandez Vaz (UFSC), Newton Ramos-de-Oliveira (UNESP-Araraquara) e Bruno Pucci (UNIMEP); 2. Vlademir Pinheiro Safatle (USP/SP), Antônio Álvaro Soares Zuin (UFSCar), Mônica do Amaral (USP/SP), Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória (UNIMEP); 3. Marcus Vinicius Mazzari (DTLLC/USP/SP), Jeanne-Marie Gagnebin (UNICAMP/ PUC-SP), Jorge Mattos Brito de Almeida (DTLLC/USP/SP); 4. Belarmino Cesar Guimarães da Costa (UNIMEP), Isabel Loureiro (UNESP-Marília) e Renato Bueno Franco (UNESP-Araraquara). O livro publicado referente ao IV Colóquio Internacional foi editado em 2009: PUCCI, Bruno; LASTÓRIA, Luiz C.; ALMEIDA, Jorge (Orgs.). Experiência formativa e emancipação. São Paulo: Nankin, 2009.

Em agosto 2006, realizamos o V Congresso Internacional de Teoria Crítica: Indústria Cultural Hoje, na UNIMEP, Campus Centro, com 04 conferências, 03 mesas-redondas, 80 comunicações científicas, 33 pôsteres, 230 inscritos, com apoio financeiro da FAPESP, do CNPq, da CAPES e do DAAD. Os conferencistas foram os professores doutores: Rodrigo Duarte (UFMG) – Conferência de Abertura; Andreas Gruschka[1] (Univ. Johann W. Goethe/ Frankfurt am Main); Christoph Türcke (Univ. de Leipzig). Das 03 Mesas Redondas participaram os doutores: 1. Antônio Álvaro Soares Zuin (UFSCar) e Dr. Conrado Ramos (UNIP); 2. Osvaldo Giacóia (UNICAMP), Alexandre Fernandez Vaz (UFSC) e Cláudio Dalbosco (UPF-Passo Fundo); 3. Fabio Durão (UFRJ), Newton Ramos-de-Oliveira (UNESP-Araraquara) e Jorge de Almeida (USP/SP). Na Parte Cultural houve a Apresentação de Músicas compostas por Theodor Adorno, ao Piano, por Cecília Belato (Escola de Música da UNIMEP/ Piracicaba). O livro publicado referente ao V Colóquio Internacional foi editado em 2008: Durão, A. Fábio;Zuin, Antônio; Vaz Alexandre F. (Orgs.). A Indústria Cultural hoje. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

Os membros participantes do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação na Sede Institucional da UNIMEP nos primeiros 10 anos de vida (1996/2006) foram os seguintes:

Professores Doutores: Belarmino Cesar Guimarães da Costa; Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória; Nilce Maria A. S. de Arruda Campos; Bruno Pucci.

Doutorandos[2]: Irizelda Martins de Souza e Silva (2001); Paulo Guilhermeti (2002); Paulo Sérgio Bereoff (2003); Simone Hewig Hasse(2004); Maria dos Remédios de Britto (2005).

Mestrandos[3]: Paulo Sérgio Bereoff (1998); Mariella Fröner Martins[4] (1998); Holney Antonio Mendes (1998); Hudson Luiz Gomes (1999); Paulo Ricardo Freire de Souza (1999); Wagner Luiz Weber (1999); Roberto Rondon (2000); Alessandra Scapin (2001); Érica Cristina De Almeida (2001); Márcio Norberto Faria (2001); Luciana Azevedo Rodrigues (2001); Marcelle Lara Pimentel (2002); Carine Barcellos Sant’ana Lima Pinto (2003); Mércia de Martini (2003); Gilberta Teixeira Vassoler (2003); Carla Gonçalves Marques (2003); Waldirene Teresinha de Pádua Bícego (2003); Alain Melendez (2004); Rogério Mei Silva (2004); Elaine Cristina Costa (2004); Carlos Alberto Cohon (2004); Lucienne Blummer (2004); Daniela Peixoto Rosa (2005); Maria Luiza Oliveira Guimaro (2005); Ely de Campos (2005); Stevenson Moschini (2006); José Barone Mercadante Neto (2006); Naê Pereira Prada Rodrigues Desuó (2006); Daniele Diácovo (2006); Geci de Souza Fontanella (2006).

Graduandos: Márcia Imaculada de Souza (1997); Osvaldo Rocha (1997); Carine Barcellos Sant’Ana Lima Pinto (1999 – 2001); Naê Pereira Prada Rodrigues (2002-2004); Cristiane Xavier Pereira (2002-2004); Maria Beatriz Pascoaline (2002-2005); Isabella Fernanda Ferreira (2003-2005); Vanessa Gabassa (2004- 2005); Eduardo Pantaleão (2004); Liliana Scatena (2005); Maíra Soares Ferreira (2005); Tatiana Thiago Mendes (2005); Soraia Maria dos Santos Pereira (2005); Eduardo Costa Pantaleão (2005); Thelícia Canabarra (2006).

O VI Congresso Internacional: Teoria Crítica e Inconformismo: Tradições e Perspectivas, realizado na UFSCar em setembro de 2008; o VII Congresso Internacional de Teoria Crítica: Natureza, Sociedade: Crises, realizado na UNICAMP, em setembro de 2010; e o VIII Congresso Internacional de Teoria Crítica: Desafios na Era Digital, realizado na UNESP-Araraquara, em setembro de 2012, tiveram a direção e a participação dos pesquisadores do GP Teoria Crítica e Educação da UNIMEP na organização, no comitê científico e na apresentação de mesas-redondas, de comunicações e de pôsteres científicos.

Em 2010, a doutora Luzia Batista de Oliveira Silva ingressou como docente e pesquisadora no PPGE/UNIMEP e começou a fazer parte dos pesquisadores do grupo Teoria Crítica e Educação. Nesse mesmo ano, Luiz Antonio Calmon Nabuco Lastória deixou a UNIMEP e ingressou como docente e pesquisador na UNESP-Araraquara. 

Em agosto de 2011, comemoramos, na UNIMEP, os 20 Anos do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação, com a exposição e debate dos projetos de pesquisa dos doutores pesquisadores do grupo (25/08/2011) e com um dia para avaliação e apresentação de novas propostas de pesquisa (26/08/2011).

No ano de 2012 se deu a vinda do Dr. Mateu Cabot Ramis, como pesquisador visitante junto ao Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação. Mateu Cabot permaneceu entre nós de 01 de agosto a 30 de novembro de 2012, com o apoio da FAPESP. Proveniente de Palma de Mallorca, Espanha e professor/ pesquisador da Universidadde les Illes Balears, desenvolveu atividades de assessoria a projetos de pesquisa dos doutores/pesquisadores do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação das Sedes Institucionais da UNIMEP, UFSCar, UNESP/Araraquara, UNICAMP e UFLA (Lavras); além de que participou como conferencista da Abertura do VIII Congresso Internacional de Teoria Crítica (Araraquara); ministrou minicursos na UFSCar, na UNESP/Araraquara, na UFLA; participou de três encontros na disciplina Estética e Educação, no PPGE/UNIMEP; apresentou conferências nos PPGEs da UNIMEP, da UNICAMP e da UFSCar; intermediou uma parceria de pesquisa entre a UNIMEP e a Universidad de lês Illes Balears. Sua presença entre nós foi muito frutífera.

Ainda no ano de 2012, o Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação, através de Bruno Pucci, seu líder, e de Renato Franco, realizou um convênio com Valentim Facioli, da Nankin Editorial, com o objetivo de a editora ter a prioridade na publicação de livros referentes aos Congressos organizados pelo GP Teoria Crítica, bem como na edição de livros resultantes de parcerias com pesquisadores teórico-críticos internacionais. E os dois primeiros livros da “Coleção Teoria Crítica” foram compostos por conferências e comunicações científicas apresentadas e debatidas no VIII Congresso Internacional de Teoria Crítica: Desafios na Era Digital, realizado na UNESP-Araraquara, em 2012: 1). Bruno Pucci; Renato Franco; Luiz Roberto Gomes (Orgs.). Teoria Crítica na Era Digital: desafios. São Paulo: Nankin Editorial, Coleção Teoria Crítica 1, 2014; 2). Ari Fernando Maia; Antônio Álvaro Soares Zuin; Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória (Orgs.). Teoria Crítica da Cultura Digital: aspectos educacionais e psicológicos. São Paulo: Nankin Editorial, Coleção Teoria Crítica 2, 2014.

Em 2013, Ana Carolina K. Barcellos, fez estágio de 4 meses de pesquisa sob a supervisão de Mateu Cabot, em Palma de Mallorca, se doutorou, em 2014, no PPGE/UNIMEP e ingressou como doutora pesquisadora de nosso Grupo de Pesquisa. Nesse mesmo ano, Alex Sander da Silva, da UNESC, Criciúma, SC., ingressou como Pós-Doutorando no PPGE/UNIMEP, sob a supervisão de Bruno Pucci, e começou também a fazer parte dos doutores pesquisadores do Grupo de Pesquisa e participar ativamente das atividades acadêmicas e de pesquisas da Instituição Sede – UNIMEP.

Destacamos ainda a iniciativa assumida por pesquisadores vinculados à Teoria Crítica da Sociedade no Brasil e na Alemanha, presentes no IX Congresso Internacional realizado na UNIMEP em 2014, de publicarem, no Brasil e na Alemanha, uma coletânea de textos, contendo análises sobre experiências educacionais desenvolvidas nesses dois países. Eis o resultado dessa iniciativa: 1). Andreas Gruschka; Luiz A. Nabuco Lastória. Zur Lage der Bildung: kritische Diagnosen aus Deutschland und Brasilien. Opladen/Berlin: Verlag Barbara Budrich, 2015. 2). Luiz A. Nabuco Lastória; Antônio A. Soares Zuim; Luiz Roberto Gomes; Andreas Gruschka (Orgs.). Teoria Crítica Escritos sobre Educação: contribuições do Brasil e Alemanha. Coleção Teoria Crítica 3. São Paulo: Nankin Editorial, 2015. Coleção Teoria Crítica 3. O livro Teoria Crítica Escritos sobre Educação, publicados no Brasil e na Alemanha, foi composto por 7 capítulos escritos por pesquisadores alemães, 6 capítulos escritos por pesquisadores brasileiros e 1 capítulo escrito por Mateu Cabot, da Espanha. Entre os autores nacionais, três fazem parte do GP Teoria Crítica da UNIMEP: Belarmino Cesar Guimarães da Costa; Luzia Batista de Oliveira Silva; e Bruno Pucci.

Em setembro de 2014 foi realizado na UNIMEP, Campus Taquaral, Piracicaba o “IX Congresso Internacional de Teoria Crítica: gênese, desdobramentos, apropriações, com 4 grandes conferências, 6 mesas-redondas, 101 comunicações científicas e 37 pôsteres. Teve a participação de cerca de 300 participantes. Recebeu apoio do CNPq, da CAPES, da FAPESP e da UNIS[5]. As conferências do IX Congresso foram ministradas pelos doutores:  Paulo Arantes (USP/SP) – Conferência de Abertura; Andreas Gruschka (Univ. J. W. Goethe – Frankfurt); Miguel Vedda (Universidad de Buenos Aires/Conicet); e Christoph Türcke (Univ. De Leipzig, Alemanha). As 06 mesas redondas tiveram a participação de: 1). Verlaine Freitas (UFMG) e Vladimir Safatle (USP/SP); 2). Luiz A. Calmon Nabuco Lastória (UNESP/Araraquara) e Antônio A. Soares Zuin (UFSCar/São Carlos); 3). Daniel Mill (UFSCar) e Bruno Pucci (UNIMEP); 4). Ricardo Timm de Souza (PUC-RS) e Douglas Garcia Alves Júnior (UFOP-MG); 5). Rita Amélia Teixeira Vilela (PUC-MG) e Eduardo Soares Neves Silva (UFMG); 6). Renato Bueno Franco (UNESP/Araraquara) e Miguel Vedda (UBA – Argentina). Tivemos ainda, neste IX Congresso, o lançamento do livro de Andreas Gruschka, Frieza Burguesa e Educação: a frieza como mal-estar moral da cultura burguesa na educação (Campinas: Editora Autores Associados, 2014). Dos textos apresentados no Congresso pelos doutores e doutorandos, foram editados dois dossiês: 1). “Teoria Crítica, Experiência Estética e Literatura”, pela Impulso: Revista de Ciências Sociais e Humanas da UNIMEP, vol. 25, 2015; 2). “Teoria Crítica e Educação”, pela Revista Comunicações do PPGE/UNIMEP, Vol. 22, N. 3 (2015).

Além dos dois dossiês, foram publicadas 2 Coletâneas de artigos pela Nankin Editorial, em convênio com o Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação: 1). Atualidade da Teoria Crítica na Era Global, organizada por Bruno Pucci; Belarmino Cesar G. da Costa; Nilce Maria A. de Arruda Campos; e Luzia Batista Oliveira Silva, docentes da Sede Institucional da UNIMEP, Coleção Teoria Crítica 4, 2016; 2). Teoria Crítica no Brasil e na América Latina, organizada por Antônio Álvaro Soares Zuin; Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória; e Renato Franco; Coleção Teoria Crítica 5, 2016.

Em abril de 2015, os doutores pesquisadores do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação, após avaliação do IX Congresso Internacional de Teoria Crítica, atenderam à solicitação de Bruno Pucci, de deixar a liderança do referido Grupo de Pesquisa, e indicaram como líder e vice-líder Antônio Álvaro Soares Zuin, da UFSCar e Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória, da UNESP/Araraquara. Bruno Pucci continuou como líder do Grupo Teoria Crítica e Educação da Sede Institucional UNIMEP.

Em março de 2015, Luzia Batista de Oliveira Silva deixou a UNIMEP e ingressou como docente e pesquisadora na Universidade de São Francisco, mas continuou fazendo parte do GP Teoria Crítica da UNIMEP. Em agosto desse mesmo ano, Allan da Silva Coelho ingressou como docente e pesquisador no PPGE/UNIMEP e também em nosso Grupo de Pesquisa.

O X Congresso Internacional de Teoria Crítica: Tecnologia, Violência, Memória foi realizado na UFSCar, em São Carlos, de 10 a 14 de outubro de 2016. Os docentes pesquisadores da Sede Institucional da UNIMEP participaram da organização do Congresso e também das atividades científicas realizadas no evento: Conferência de Abertura (Bruno Pucci), Mesa Redonda (Belarmino Cesar G. da Costa); Comunicações (doutorandos do PPGE/UNIMEP) e Pôsteres (Mestrandos do PPGE/UNIMEP). Destacamos nesse evento o concerto para piano intitulado: “As quatro estações de Mallorca”, de Pablo Frau Burón (Universitat de les Illes Ballears – Espanha), com a leitura concomitante das cartas de Walter Benjamin, redigidas em Ibiza, por Ana Carolina K. Barcelos.

            Queremos destacar a contribuição do professor Luiz Antônio Nabuco Lastória ao Grupo de Pesquisa Teoria Crítica Sede Institucional UNIMEP: Desde 2013, na disciplina obrigatória do 1º. Ano de Doutorado, Epistemologia e Educação I, Lastória foi responsável pelas aulas sobre Sigmund Freud, Psicanálise e Educação. Além de, nos anos 2016 e 2017, ter ministrado no PPGE/UNIMEP o minicurso Psicanálise e Psicologia Social analiticamente orientada, 16 horas-aulas.

O XI Congresso Internacional de Teoria Crítica: Estado de Exceção e Racionalidade na Idade Mídia foi realizado na UNESP-Araraquara, em outubro de 2018. Os docentes pesquisadores da Sede Institucional da UNIMEP participaram da organização do Congresso e também das atividades científicas realizadas no evento: Mesa Redonda (Bruno Pucci); Comunicações (Allan Coelho e doutorandos do PPGE/UNIMEP) e Pôsteres (Mestrandos do PPGE/UNIMEP). Nesse Congresso foram lançados os livros: 1). Ari Fernando Maia; Belarmino Cesar G. da Costa; Débora Cristina de Carvalho (Orgs.). Tecnologia, Política, Dominação: Resistências. Coleção Teoria Crítica 7. São Paulo; Nankin Editorial, 2018; 2). Luiz A. Calmon Nabuco Lastória; MateuCabot; Antônio Álvaro S. Zuin (Orgs.). Tecnologia, Violência, Memória: Diagnósticos Críticos da Cultura Contemporânea. Coleção Teoria Crítica 6. São Paulo; Nankin Editorial, 2018; 3).Mateu, Cabot; Luiz A. C. N.Lastória; ZUIN, Antônio A. (Orgs.). Tecnologia, Violencia, Memoria: diagnósticos Críticos de la Cultura Contemporánea. 1ed. Barcelona: Ântropos, 2018. Ressaltamos, ainda, o lançamento do livroTeoria Crítica, Formação Cultural e Educação: Homenagem a Bruno Pucci, organizado por Antônio A. S. Zuin; Belarmino C. G. da Costa; Luiz Roberto Gomes; Luiz Antônio C. N. Lastória; Piracicaba: Editora UNIMEP, 2018.  Os livros 2 e 3, escritos no Brasil e na Espanha, são compostos por 16 capítulos, escritos por 8 autores brasileiros e 8 espanhóis. Neles constam 2 capítulos escritos um por Belarmino Cesar G. da Costa e outro por Bruno Pucci. Destacamos também a palestra-concerto, proferida pelo Prof. Dr. Pablo Frau Burón (Universitat de les Illes Balears – Palma de Maiorca), sobre o método de composição musical de Theodor W. Adorno, no dia 03/10.

Andreas Gruschka, a convite do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica, da UFSCar, e com apoio da FAPESP, participou de atividades científicas e acadêmicas, como pesquisador visitante, nos meses de outubro e novembro de 2018. Na UNIMEP,  Gruschka ministrou aos docentes e pós-graduandos do PPGE o minicurso “Teoria Crítica, Estética e Educação: A figuração da infância nas pinturas de Veronese, Chardin e Phillip Runge”, nos dias 07 e 08 de novembro. No dia seguinte, reuniu-se com docentes e discentes do Núcleo de Pesquisa História e Filosofia da Educação do PPGE/UNIMEP e analisou questões relacionadas à educação na Alemanha.

No período de dezembro de 2018 a dezembro de 2019, Allan Coelho desenvolveu Estágio de Pós-Doutorado no Centre d’Etude em Sciences Sociales du Religieux d’Ecole de Hautes Etudes em Sciences Sociales, de Paris, sob a supervisão de Michel Löwy.

Dois representantes do GP Teoria Crítica, da UNIMEP, Belarmino Cesar G. da Costa e Bruno Pucci participaram do Simpósio Atualidade da Teoria Estética de Theodor Adorno, em julho e 2019, na UFMG, em Belo Horizonte (03 e 04 de julho) e em Inhotim (05 de julho). Belarmino Cesar G. da Costa, Ana Carolina K. Barcellos e Bruno Pucci participaram também do Simpósio comemorativo dos 20 Anos do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica da UNESP de Araraquara, coordenado por Luiz A. Calmon N. Lastória, em setembro de 2019. Luiz Carlos Andrade de Aquino, professor da UNIVAP, com doutorado em Educação pelo PPGE/UNIMEP, em 2017, está vinculado como pesquisador ao GP Teoria Crítica e Educação na Sede Institucional do GP/UNIMEP.

Nilce Maria A. S. de Arruda Campos, docente de UNIMEP desde 1989, deixou a Instituição em 2018. Bruno Pucci, depois de 23 anos como docente e pesquisador do PPGE/UNIMEP e à UNIMEP, foi demitido, pela 3ª vez, em dezembro de 2019. Allan da Silva Coelho deixou a UNIMEP em março de 2020 e ingressou, por concurso público, na Universidade de São Francisco. O coordenador da Sede Institucional UNIMEP/GP Teoria Crítica e Educação, a partir de 2020, passou a ser Belarmino Cesar Guimarães da Costa.

Os membros participantes do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação na Sede Institucional da UNIMEP nos anos 2007 a 2020 foram os seguintes:

Professores Doutores: Belarmino Cesar Guimarães da Costa; Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória (até 2010); Nilce Maria A. S. de Arruda Campos (até 2018); Bruno Pucci (até dezembro de 2019); Luzia Batista de Oliveira Silva (até 2015); Allan da Silva Coelho (até março de 2020).

Doutorandos: Andreia Cristina Peixoto Ferreira (2007); Neusa Lima Medrado (2008); Ana Carla Dias Carvalho (2010); Christine Barbosa Betty (2011); Dilson Passos Junior (2011); Mara Yáskara Nogueira Paiva Cardoso (2012); Juan Covarrubias Cardenas (2012); José Vicente (2012); Ana Carolina Kastein Barcellos (2014); Moacir de Góes (2015); Wanderson Gomes de Souza (2016); Simone de Paula Teodoro Moreira (2016); Luiz Carlos Andrade de Aquino (2017); Leandro Eliel Pereira de Moraes (2017); Viviane Marinho Luiz (2018); AntonioFilogenio de Paula Junior (2019); Tainã Moreira Gomes (2020);  Wanderley Florêncio Garcia (2020); Ivonésio Leite de Souza (2020); Kátia Borgi (2020); Gustavo Schneider (2020).

Mestrandos: Karina Coelho Pires (2007); Andréa Zaia Perin (2007); Lucienne Dorneles (2008); Andréa de Andrade Morangoni (2008); Nívea Maria Silva Menezes (2008); Marcelo Garcia Navarro (2008); Juliana Baiocchi (2009); Reynaldo Portillo Molina (2009); Edeval Aparecido Zaghetti (2009); Andreza Oliveira Berti (2009); Lia Raquel Posi (2010); Tatiana Gomes (2010); José Antonio Colletti dos Santos (2010); João Carlos Goia (2011); Ocelo Domingos Pereira Filho (2011); Leandro Eliel Pereira de Moraes (2012); Ana Glória Prates Gris da Silva. (2012); Rodrigo Ferreira Telles (2012); Claudinei Zaghi Pareschi (2013); Marcos Antonio dos Anjos (2013); Sandra Chedid Racy (2013); Ediney Silva Paiva (2013); Taitson Alberto Leal dos Santos (2013); Roberto César Barros Gonzaga (2013); Ivone Oliveira Tavernard (2013); Junior Tavernard (2013); Hugo Gimenes de Lima (2014); Amalia Ranaldo Chiaradia (2014); Rafael Trentin Scremin (2014); Tainã Moreira Gomes (2015); Romualdo da Cruz Filho (2015); Andrea Stefânia Mascarello (2017); Felipe Henry Lucate (2018);Cornélio Raimundo Mucache (2018); José Ailton Carlos Lima Correia (2018); Luiz Marcos de França Dias (2018); Gloria Bonilha Cavaggioni (2018); Jaqueline Altomani da Silva (2020); Pedro Luís Schiavuzzo (2020); Vanderson Batista dos Santos (2020).

Graduandos: Mariana Bilia Arthur (2007); NuchyCalviteGrigorians (2007); Valquíria dos Santos Ferreira Lima (2008); Evelyn Sant’ Anna Sampaio (2009); Camila Mascella Rodrigues (2009-2010); Ana Paula da Costa Ratto Cavalheiro (2010-2011); Amalia Ranaldo Chiaradia (2010- 2012); Thiago Antunes Souza (2010-2014); Felipe Leonardo Mazin dos Santos. (2011); Renato Bellotti Sinicatto (2011); Lucas Serra Valladão (2011-2012); Anna Christina do Amaral Zanatta (2012);  Camila Cobelhanski Evans Miras (2014); Joycci Ricci Pires (2015); Lucas Duarte de Moraes (2015-2017); Isabella Spinorello (2016); Carlos Bruno de Castro (2017- 2018); Isabela Cristina de Mello D’Elia (2018); Camila Cordeiro (2019-2020); Rafael Calegaris (2019-2020); Daniela Borges de Oliveira (2019-2020).

Nos 24 anos de pesquisa do GP Teoria Crítica e Educação Sede Institucional UNIMEP, 66 pós-graduandos defenderam dissertação de mestrado e 32 a tese de doutorado, tendo como referencial teórico os pensadores da Escola de Frankfurt e como orientadores Bruno Pucci (36M/26D), Luzia Batista de Oliveira Silva (6M/2D), Belarmino Cesar Guimarães da Costa (9M/1D), Luiz Antônio Calmon Nabuco Lastória (6M/1D), Nilce Maria A. S. de Arruda Campos (4M) e Allan da Silva Coelho (5M/2D).

Fale Conosco:

Belarmino Cesar Guimarães da Costa   belarmino.costa@unimep.br

[1]Andreas Gruschka apresentou 2 conferências no V Congresso Internacional, em 2006.

[2]A data ao lado do nome do doutorando significa o ano da defesa da tese de doutorado.

[3]A data ao lado do nome do mestrando significa o ano da defesa da dissertação de mestrado.

[4] Bruno Pucci foi co-orientador de sua dissertação de Mestrado. O orientador foi Valdemar Sguissardi.

[5]UNIS-MG = Centro Universitário do Sul de Minas – localizado em Varginha, MG. O PPGE-UNIMEP desenvolveu com a UNIS, nos anos 2012-2016, um Dinter, com apoio da CAPES, na formação de 10 doutores daquela instituição de ensino superior.

 

Dissertações de Mestrado PPGE UNIMEP
Teses de Doutorado PPGE UNIMEP

Sede Institucional da Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC-Minas)

O grupo de Teoria Crítica na PUC-Minas existe desde 2004, está registrado no DGP/CNPq com o nome “Núcleo de Pesquisa Social: Teoria Crítica da Sociedade, Cultura e Infância”. Seu endereço para acessar o espelho é:

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1137288687033423

 

Histórico do Núcleo de Pesquisa:

O Núcleo de Pesquisa Social: Teoria Crítica da Sociedade, Cultura e Infância,  foi criado após a fusão de dois grupos de pesquisa que vinham trabalhando de maneira integrada no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PGEd/PUC Minas), sendo o primeiro grupo intitulado Educação da Infância Cultura e Sociedade (GEICS) que se constituiu em 2007, sob os auspícios da PUC Minas, inicialmente no campus de Poços de Caldas, em 2009 passa a integrar o PGEd da Universidade e o segundo  intitulado: Grupo de Estudos e Pesquisa em Teoria Crítica e Pesquisa Empírica. O GEICS esteve, até o ano de 2013, sediado em Belo Horizonte, onde ocorriam seus encontros, estudos e pesquisas sobre Sociologia da Educação – Infância, Cultura e Currículo. Em 2014 houve a fusão com o Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Pesquisa Empírica, coordenado pela Dra. Rita Amélia Vilela. Das várias produções conjuntas dos antigos grupos de pesquisa surge o NUPES, de cujas atividades acadêmicas participam profissionais e pesquisadores, embrenhando e desvelando os muitos percursos que constituem o universo cultural da Educação, das infâncias e das crianças contemporâneas. O NUPES reúne estudiosos, pesquisadores e profissionais que têm a Educação, as crianças e suas infâncias como foco de suas teorizações, abordando diferentes aspectos do cotidiano delas e suas bases de formação. O tema central de nossos estudos, tem procurado colocar diante da comunidade acadêmica e dos profissionais de educação uma parte de nossas reflexões, que, consideramos ser capazes de representar nosso pensamento, cuja orientação teórica está referenciada no campo das ciências sociais, em especial à teoria crítica e sua interlocução com a educação.

 

Atualmente a líder do NUPESPUC MINAS/DGP/CNPq é a Profa. Dra. Magali Reis, Graduada, mestre e Doutora em Educação pela Unicamp, e a Segunda líder Rita Amélia Teixeira Vilela – Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestrado em Educação pelo IESAE/ Fundação Getúlio Vargas – RJ e Doutorado em Ciências da Educação pela Universidade de Frankfurt , Alemanha.

 

Contato: magali_reis@pucminas.br  e  magali.reis33@gmail.com

    rivilela@uol.com.br

 

Doutores e Mestres que atuam no Núcleo de Pesquisa Social:

Doutores:

Luciete de Cássia Souza Lima Bastos

Simei Santos Andrade

Marcelo dos Santos Isidório

Mayrla Andrade Ferreira                                          

Ana Paula Braz Maletta

Maria das Graças Oliveira

Ana Consuelo Ramos

Edna Gomes Roriz

Maria Helena dos Santos Morra

Kátia Aparecida de Souza e Silva

 

Mestres:

Ariany da Silva Bezerra

Luzia Maria Werneck

Flávia Filomena Rodrigues da Mata

Thiago Luiz Santos de Oliveira

 

Doutorandos e Mestrandos que atuam no grupo:

Doutorandos:

Aline Teodoro Caldeira

Carlos Frederico Felício Fagundes

Luiz Antônio Ribeiro Soares das Neves

Luiz Braz Franceschini Júnior

Geová Nepomuceno Mota[1]

Débora Gonçalves Siqueira

Lúcia Helena Gomes Saraiva

Mestrandos:

Lucas Reis Ávila

Paulo Bruno Corrêa

[1] Orientando do Prof. Amauri C. Ferreira. Geová é estudioso da obra de Kant e tem colaborado com os estudos do NUPES.

Sede Institucional da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

GEPEFIL/NEPEFIL – Grupo de estudos e pesquisa do Núcleo de estudos e pesquisa em educação, filosofia e linguagens (Nepefil) – Teoria Crítica e Sociedade

O Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação, Filosofia e Linguagens (Gepefil) é vinculado ao Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação, Filosofia e Linguagens, do Centro de Educação da Ufes (Nepefil – Teoria Crítica e Sociedade). O Grupo foi formado em 1999, com o intuito de realizar estudos e pesquisas em torno de questões relativas à filosofia, à educação em diálogo com a diversidade de linguagens que envolve as artes e as ciências, a partir do referencial da Teoria Crítica da Sociedade. Atualmente, o Núcleo tem sede no 1º piso do prédio Maria de Jesus de Oliveira Borgo (Maje) onde estão localizados a Biblioteca Setorial, o Colegiado de Curso de Pedagogia e outros Núcleos e Laboratórios, situado entre os prédios do IC-III e IC-IV (Campus de Goiabeiras &nda sh; Ufes). O Nepefil agrega docentes e discentes de diversas unidades da Universidade Federal do Espírito Santo e de outras Instituições Federais de Ensino Superior. Desde 2010 está vinculado ao Grupo de Estudos de Pesquisa Teoria Crítica e Educação (GEP), sede UFScar/Unesp, mediado pela participação de seu líder – cadastro CNPq -, Robson Loureiro, no referido GEP.
COORDENAÇÃO: Prof. Dr. Robson Loureiro
Coordenador Adjunto: Prof. Dr. Edson Maciel Júnior
Sub-Coordenação: Profª Drª Luciana Molina Queiroz

Pesquisadores doutores

Dr. Antonio Vidal Nunes (CCHN/Ufes)
Dr. Edson Maciel Júnior (Deps/Ufes)
Dr. Emerson Campos Gonçalves (Egresso PPGE/Ufes)
Dr. Filicio Mulinari (Ifes/Itapina/ES)
Dr. João Assis Rodrigues (Deps/Ufes)
Drª Luciana Molina Queiroz (Egressa – Filosofia/Ufes/ PPGF PPGL/Unicamp)
Drª Mariana Passos Ramalhete (Ifes/VNI/ES)
Dr. Maurício Abdalla Guerrieri (CCHN/Ufes)
Drª Priscila Monteiro Chaves (DLCE/PPGE/Ufes)
Dr. Rafael Nogueira Costa (UFRJ/Macaé)
Dr. Robson Loureiro (Deps/PPGE/PPGL/Ufes)
Drª Samira da Costa Sten (Faced/UFBA)
Dr. Vitor Cei (DL/PPGL/Ufes)
Dr. Wilberth Clayton Ferreira Salgueiro (DL/PPGL/Ufes)

Pesquisadores Doutorandos

Adolfo Miranda Oleare (Ifes/Vitória/ES)
Adriana Vieira de Souza (SEMED/ES)
Kênia Faria Brant (Instituto Federal/Governador Valadares/MG)

Professores Mestrandos
Monique Greice Malta Cardoso (PPGE/Ufes)

Professores Graduados

Profª Alline Gomes Garcia
Prof. Lucas Henrique Barros
Prof. Stélio Brosseghini

Acadêmicos em Graduação

Hiasmin da Silva Espírito Santo (História/CCHN/Ufes)
Lorenzo de Brito Rodrigues (História/CCHN/Ufes)
Gabriel Uccelli (Física/CCE/Ufes)

Tel.: 27- 40097766

Sede Institucional da Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Pequeno Histórico

A sede Institucional da Universidade Federal de Lavras do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação está constituída de 3 Grupos de Pesquisa com suas respectivas linhas de pesquisas:

1). Grupo de Estudos e Pesquisas Teoria Crítica, Educação e Educação Física- UFLA
Coordenadores: Luciana A. Rodrigues e Marcio Norberto Farias

Em 2007, foram dados os primeiros passos para a criação do Grupo de Pesquisa Teoria Crítica e Educação – UFLA com as reuniões semanais do Prof. Márcio N. Farias, da Profa Luciana Azevedo Rodrigues com as estudantes Darlene Isabel Ferreira, Ártemis Marques Alvarenga e Aline Torres S. Silva, para estudar o texto “Corrosão do Caráter: consequências sociais do novo capitalismo”, de R. Sennet, que inaugurou o estudo de textos seguintes dentro da tradição de pensamento da Teoria Crítica da Sociedade em especial, de Adorno, Horkheimer, Benjamin e, mais recentemente de C. Türcke. Em 2008, a consolidação das reuniões de estudo levou o Grupo de Pesquisa a obter seu cadastramento na Plataforma Lattes, assim como deu início ao desenvolvimento de pesquisas sobre novas tecnologias e formação docente. Foi a partir delas foi criado o projeto denominado ” Cinema Com Vida “, comprometido em promover exibições e debates de filmes e pesquisar as potencialidades da arte cinematográfica na formação cultural docente a partir do referencial da Teoria Crítica da Sociedade. Neste momento, o Grupo, com a participação dos novos estudantes — o licenciando em Matemática Thalles Martins e outros três licenciandos em Educação Física: Camila Sandim de Castro, Fernando Cardoso Montes e Carlos Augusto Magalhães Júnior –, promoveu encontros para leitura dos textos de Minima Moralia e Dialética do Esclarecimento. A partir de 2010, além da promoção de Saraus Culturais e Colóquios, o grupo de pesquisa, em articulação com o Projeto Cinema Com Vida, subsidiou a criação de uma linha de estudos intitulada Teoria Crítica e Educação, no Curso de Mestrado Profissional em Educação, implantado na Universidade Federal de Lavras em 2011-2.
A partir deste mesmo ano, além de receber a contribuição das conferências do Prof. Renato Bueno Franco e de seu Seminário sobre W. Benjamin, o grupo foi fortalecido com a chegada dos professores Carlos Betlinski, Vanderlei Barbosa, e em seguida, da professora Dalva de Sousa Lobo, que passaram a participar de suas reuniões semanais.
Durante o período de 01 de novembro de 2016 e outubro de 2017 com o afastamento dos coordenadores do Grupo de Estudos, Profa. Luciana A. Rodrigues e Prof. Marcio N. Farias, para realização de seus pós-doutoramentos em Leipzig, Alemanha, as reuniões de estudo puderam prosseguir com o apoio dos referidos docentes.
Com a volta dos coordenadores ao Grupo, e a experiência acumulada ao longo de 2017, em 2018 pelos membros do grupo, foi construída uma proposta de Pesquisa sobre Cinema Novo e Formação Cultural Docente que, desde 2019, tem permitido continuar as questões abordadas nos pós-doutoramentos relativas à potencialidade estética do cinema novo de prender e fortalecer a atenção humana e, portanto, de poder ser um forte aliado contra o processo atualmente em curso de enfraquecimento e de dessedimentação da atenção humana, produzida com os choques imagéticos.
Ainda em 2019, contudo, a Profa Dalva de Souza Lobo, o Prof.  Vanderlei e em seguida o Prof. Carlos Betlinski se afastaram das reuniões para se dedicar aos seus próprios Grupos de Estudos mais diretamente voltados a seus objetos de pesquisa.  Desde este ano, os encontros do Grupo de Pesquisa começaram a impulsionar uma retomada de estudos sobre o lugar do corpo humano, sua dimensão física e social. Esta retomada foi adensada com o reencontro em 2020 de seus coordenadores com duas pesquisadoras e amigas do campo da Educação Física que também estudam Teoria Crítica.
Tal reencontro, levou ao ingresso das mesmas no Grupo, e devido  à formação e atuação dos coordenadores do Grupo na área da Educação Física, associadas à volta de integrantes do grupo que fizeram Mestrado e Doutorado em Educação, licenciados em Educação Física, e devido especialmente às questões do tempo presente que apontam para processos sociais autoritários que desmembram cada vez mais o corpo humano e sua dimensão sensível, simbólica, física, social e expressiva, o Grupo tem sido levado a estudar as imagens em movimento em articulação com as artes do movimento corporal na educação. Com isto o nome do Grupo foi alterado para Grupo de Estudos Teoria Crítica, Educação e Educação Física – UFLA.
Em síntese, sob a nova denominação, o Grupo tem conservado sua referência ao pensamento de W. Benjamin, T. Adorno, M. Horkheimer, C. Türcke, aprofundado suas relações com a tradição do cinema neorrealista, e mais recentemente, se aproximado de estudos sobre as artes corporais que compõem uma tradição em que o corpo humano e seus movimentos são valorizados na sua dimensão “neorrealista”, para promoção de uma educação contrária a barbárie. Isso tem sido feito com o propósito de problematizar os diferentes processos sociais que tem desmembrado as ações/interações/percepções e imaginações humanas e reduzindo-as a algo meramente físico, pontual e isolado. Ou seja, tanto a arte cinematográfica quanto as artes do corpo e do movimento corporal humana são buscadas para inventar caminhos de resistência para formação humana.
Os atuais participantes do Grupo de Estudos e Pesquisas Teoria Crítica, Educação e Educação Física – UFLA são os seguintes:
Pesquisadoresdoutores: Luciana A. Rodrigues, Marcio Norberto Farias, Camila Sandin de Castro, Ana Carla Dias Carvalho, Andreia Cristina Peixoto Ferreira, Cristiane Valeria da Silva;  Mestre: Carlos Augusto Magalhães Junior.
Mestrandos/as: Rosana Ferreira;  Valéria Aparecida Costa;  Ana Paula Corrêa; Eduarda Silva Vivas; Suellen Barbosa Memento; Daniela Aparecida de Melo Costa; Bruna Beatriz da Rocha; Paloma Cristine Santos de Souza;  Karen Raíssa Nunes;  Uliania Marinho Rodrigues;
Iniciação Científica: Liliane Primo Freire; Larissa Cardoso Oliveira; Marcelino da Costa Ramos; Taís Virgínia de Melo Almeida.

Contato: Luciana A. Rodrigues: email: luazevedo@ufla.br


2).
Grupo de Pesquisa Movimento, Sabedoria, Ideias e Comunhão – Mosaico
Coordenadores: Vanderlei Barbosa e Carlos Betlinski

O Grupo de Pesquisa Movimento, Sabedoria, Ideias e Comunhão (MOSAICO) vinculado à Sede Institucional da Teoria Crítica da Sociedade da Universidade Federal de Lavras e ao Departamento de Educação foi certificado pelo CNPQ em dezembro de 2018 e a primeira reunião do Grupo foi realizada no dia 21 de fevereiro de 2019 às 14h, nas dependências do Departamento de Educação – DED/UFLA.
Desde o final de 2018 o Grupo vem se preocupando com temáticas voltadas para o Pensamento Latino-Americano que agregam quatro elementos: Movimento, elucidando a concepção aristotélica que define o movimento como passagem de potência a ato; concepção de Héraclito, salientando que “tudo flui”, isto é, um mundo em movimento perpétuo. Sabedoria, termo filosófico “sophia”, caracterizada pela qualidade da sensatez, prudência; ou numa perspectiva teológica que edifica uma literatura sapiencial advindo e inspirado pelas coisas divinas e humanas; ou até mesmo numa perspectiva poética adeliana correspondente a uma simplicidade cotidiana. Ideias, caracterizada pela máxima socrática “Só sei que nada Sei”, expressando a humildade que corroborar na construção de um pensamento alicerçado pela imaginação, fantasia, desejo, aventura no universo do desconhecido. Comunhão, considera-se que tudo está interligado, ou seja, uma concepção política, educacional, religiosa, que busca um bem comum em prol da Unidade.
Os componentes do grupo se reúnem semanalmente, às quintas-feiras, às 14h, no Campus Histórico da UFLA; seus pesquisadores provêm das diversas graduações dessa instituição, como também há a participação de pesquisadores do programa de pós-graduação em Educação, além de pesquisadores externos à UFLA.
Objetivo Geral: Estudar as obras fundamentais da cultura brasileira, latino-americana e clássica, sobretudo, nas áreas de Filosofia, Teologia, Literatura, História, Antropologia e Pedagogia.
Objetivos Específicos: Conhecer as raízes da cultura brasileira, latino-americana e clássica; apropriar-se das ideias dos principais expoentes do pensamento da teoria crítica nacional e latino-americana; dialogar, a partir de nossa identidade cultural com autores clássicos da Teoria Crítica da sociedade; socializar conhecimento por meio de eventos acadêmico-científicos.
Pesquisadores
Doutores: Vanderlei Barbosa, Carlos Betlinski, Antonio Vidal Nunes, Gilberto aparecido Damiano, Warlley Ferreira Sahb, Ernesto Prado Cordero.
Mestres: Ellen Maira de Alcântara Laudares, Maria Camila Lima, Maria do Rosário Henriques Barbosa, Dulcineia Aparecida Ferraz Ribeiro, Jossuí Basílio Mendonça Maia, Hans Henrique da Silva, Mendonça, Simone Aparecida Botega.
Mestrandos: Marília Eduardo da Silva, Vanessa Mattos Magalhães Milêu, Amanda Naves Rodrigues e Ana Paula Batista Protacio.
Graduandos: Jefferson da Costa Moreira, Andressa Luíza Dias Caldas, Miguel, Caroline, Aparecida Carmem de Oliveira, Caroline Souza Silva e Miguel Vieira Tavares Costa.
Organização de Eventos:
– IV Simpósio de Educação e Espiritualidade: Pedagogia da Unidade: Por uma Cultura da Proximidade, realizado entre os dias 17 a 19 de maior de 2019 na Universidade Federal de Lavras – UFLA, Lavras/MG.
– I Colóquio de Pesquisa sobre o Pensamento Latino-Americano – COPPEL: As vozes Ignoradas na América Latina, realizado no dia 23 de novembro de 2019 na Universidade Federal de Lavras – UFLA, Lavras/MG.

Contato: Vanderlei Barbosa – E-mail: vanderleibarbosa@ded.ufla.br

3). Grupo de Pesquisa: Literatura, Linguagem, Tradução Intersemiótica e Formação Docente (Intersignos).
Coordenadora: Dalva de Souza Lobo.
Objetivo do grupo: investigar as relações entre a arte, a cultura e a literatura visando compreender como se configura a tradução intersemiótica entre diferentes linguagens e suportes e sua implicação na produção de sentidos, considerando o diálogo com a Teoria Crítica, sobretudo, em relação à tecnologia midiática, compreendida na perspectiva crítica. Outro ponto relevante remete à formação docente visto que as investigações sobre a interface entre arte, cultura e literatura, bem como a performance de leitura derivam em possibilidades de construção de espaços férteis para reflexões e práticas pedagógicas mais significativas.
Pesquisadores:
Doutores: 2; Mestrandos: 4; Graduação: 4.

CONTATO:
Dalva de Souza Lobo  — E-mail: dalva.loobo@ufla.brFone: (35)-99976-5931.

Sede Institucional da Universidade de São Francisco (USF)

Pequeno histórico

O objetivo do grupo é investigar a contribuição para a Educação da Teoria Crítica da Sociedade e das Teorias Críticas Latino-Americanas, numa convergência de abordagens culturais, filosóficas, históricas e de ciências sociais e jurídicas, elaborada pelos teóricos: W. Benjamin, T. W. Adorno; Karl Marx, E, Bloch, P. Freire, A. Quijano, L. Zea, W. Mignolo, A. Mbembe, Boaventura de S, Santos, G. Agamben, M. Foucault, L. Boff, Z. Bauman, C. Türcke, N. Sevcenko, A. Gruschka, J.-M. Gagnebin, N. Chomsky, N. Bobbio, P.-J. Proudhon. Os objetivos específicos são: refletir sobre as experiências formativas, estética e educação, a formação superior e a educação na infância numa relação com a arte, a poesia, a filosofia e a racionalidade na atual sociedade. Flagrar as possíveis conexões entre corpos, educação e experiências. O grupo realizou treze (13) encontros de 2018 a 2019.

Atualmente o grupo conta com a participação de treze (12) doutores-pesquisadores; Profa. Dra. Luzia Batista de Oliveira Silva (líder – PPGSSE/USF),  José Pietro Buono Nardelli Dellova (PUC/SP), Prof. Dr. Alex Sander da Silva (PPGE-UNESC), Prof. Dr. Alexandre Ribeiro Neto (Faculdade de História e Educação, UERJ), Profa. Dra. Gláucia Gonzaga Galvão (SEMG-Juiz de Fora e SERJ-Três Rios), Prof. Dr. Antonio Gilberto Balbino (FACAPA e SEMG-Pouso Alegre), Profa. Dra. Denise Filomena Bagne Marquesin (SESP-Jundiaí), Prof. Dr. Ivan de Oliveira Silva Durães (PUC-SP), Prof. Dr. Ariovaldo Francisco da Silva (UNIS/MG), Profa. Dra. Silvia Maria Carbone (UBC/SP), Prof. Dr. Gerson Gonçalves da Silva (Faculdade de Tecnologia de Mogi das Cruzes/SP) e Marcus Fabiano Gonçalves (UFF); o grupo conta com a participação de 15 estudantes sob a orientação dos professores pesquisadores.

          O grupo tem quatro (4) linhas de pesquisa:

  1. Educação e Teorias Críticas Latino-Americanas:.
  2. Teoria Crítica e Educação: infância e formação superior
  3. Walter Benjamin e Paulo Freire: convergências e transversalidades no contexto da Teoria Crítica da Sociedade
  4. Direito Civil-Constitucional, Teorias Críticas e Educação

Para a divulgação destes encontros e a comunicação entre os seus participantes, o grupo conta com um blog com o seguinte endereço na web: https://tctclae.blogspot.com.

Sede Institucional da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)

No ano de 2010 com o ingresso do professor Alex Sander da Silva no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNESC, para atuar na linha de pesquisa Educação e Produção de Conhecimentos nos Processos Pedagógicos, foi iniciado o projeto de pesquisa com o título Estudos sobre Educação, Formação Cultural e Sociedade. A partir do estudo desenvolvido, em 2011 foi Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Educação, Formação Cultural e SociedadeGEFOCS.

O grupo está cadastrado no diretório de grupos de pesquisa com três linhas de pesquisa, a saber: a) Educação e produção do conhecimento nos processos pedagógico, cujo objetivo se configura em constituir e fomentar pesquisas com bases teórico-metodológicas do conhecimento, que sustentam os processos pedagógicos. Elaboração e apreensão de conceitos nas práticas pedagógicas; b) Educação, formação e inclusão escolar é uma linha mais recente que visa estudar e pesquisar as políticas, as experiências educativas e formativas da inclusão escolar. Por fim, a linha c) Formação cultural e sociedade em que o objetivo central é investigar a condição da educação, vinculada a uma profunda reorientação nas teorias e nas práticas formativas na sociedade atual.

As linhas pesquisas tem como base referencial a Teoria Critica da Sociedade da Escola de Frankfurt de autores como Theodor W. Adorno, Max Horkheimer, Walter Benjamim, Herbert Marcuse, articulando trabalhos de pesquisa com autores como Zygmunt Bauman, Slavoj Žižek, Angela Davis e outros e outras. Suas obras transitam por diversas áreas do conhecimento tais como: a filosofia, a sociologia, em estudos da psicanálise e das ciências históricas, além da crítica musical e literária. Seu diagnóstico acompanha as produções da primeira geração da Teoria Crítica, reunida no Instituto de Investigação Social, em Frankfurt, na Alemanha.

Com o propósito de consolidação do GEFOCS, em 2013 foi criado o Colóquio sobre Educação, Formação Cultural e Sociedade (CEFOCS), evento que acontece bianualmente. Este Colóquio apresentou-se como um lócus de discussão de projetos e resultados de pesquisa e trocas de experiências dos membros do grupo, integradas à graduação e pós-graduação, em especial, do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado (PPGE/UNESC). Esse evento se constitui na colaboração e na integração entre pesquisadores, professores e acadêmicos, para debater conhecimentos, práticas e saberes que permite compartilhar diagnósticos, ações institucionais e amostras de investigação.

No ano de 2018 organizamos uma Jornada Interinstitucional de Educação com as participações dos seguintes pesquisadores: Professor Dr. Christian Muleka Mwewa (UFMS); Prof. Dr. Amarildo Luiz Trevisan (UFSM); Profa. Dra. Luzia Batista Oliveira Silva (USF); Essa Jornada resultou outras parcerias e intercâmbios, tais como bancas de doutorados e mestrados. Organização de uma coletânea e publicação de artigos em parcerias, particularmente, com o prof. Christian Muleka Mwewa e a prof. Luzia Batista Oliveira. Também no ano de 2018 foi desenvolvido atividades de intercâmbios pelo Lider prof. Dr. Alex Sander da Silva com proferimento de duas palestras na Universidad San Martin, na Argentina, entre 18 a 21, a convite da coordenadora do Mestrado em Educação, Linguagens e Meios na Escola de Humanidade, profa. Dra. Monica Pini. Em Buenos Aires e em La Plata, na Argentina, o professor Alex Sander participou de uma reunião com os professores doutores da Universidad Nacional de La Plata, profa. Dra. Ana Sabrina Mora, Profa. Dra. Mariana Ercoli e Prof. Dr. Emiliano Gambarrota. Também participou como EXPOSITOR no Seminário Internacional “Desigualdad Socio-Educativa Y Estrategias Para Su Amortiguación: Clase, Género Y Etnia En El Espacio Escolar”, que aconteceu no departamento de Postgrados da Universidad de la Republica – Uruguai no día 13 de Junho de 2018. Cabe ressaltar, ainda, que o professor Alex Sander é membro da SETC, Sociedade de Estudos de Teoria Crítica (Espanha).

No ano de 2019 organizamos a I Jornada Internacional de Educação com a participação do Professor Dr. Christian Muleka Mwewa (UFMS), co-organizador, com a participação da profa. Dra. Ana Sabrina Mora (UNLP) e da Profa. Dra. Mariana Saez (UNLP). Também no ano de 2019 publicamos o livro “Educação e Experiência Estética”, organizado com a professora Luzia Batista de Oliveira Silva o livro “Educação, Estética e Experiência”, uma coletânea que congregou pesquisadores de diversas Instituições nacionais.

 

Participantes

Prof. Dr. Alex Sander da Silva (Lider);

Profa. Dra. Daiani Barboza (Vice-lider)

Prof. Dr. Christian Muleka Mwewa – UFMS (Doutor) Campus Três Lagoas/MS

Profa. Dra. Marta Regina Furlan de Oliveira – UEL (Doutora) – Londrina/PR

Jeferson Luiz de Azeredo – Doutorando – UNESC

Gisele da Silva Rezende da Rosa – Doutoranda – UNESC

Karoline Cipriano dos Santos – Mestranda – UNESC

Amanda dos Santos Vieira – Mestranda – UNESC

Altemir Schwarz – Mestrando – UCS – Caxias do Sul/ RS

Guilherme Orestes Canarim – Graduando – Uniasselvi – Criciúma

Maria Gliselda de Luca – Graduanda UNESC

Encontros/Reuniões

Reuniões quinzenais, realizadas nas quinta-feira, das 17 às 19 horas sala de Reuniões do PPGE-UNESC

Outras Informações

 

Pesquisadores/as parceiros/as

Profa. Dra. Roselaine Ripa –UDESC – Líder do NEXOS: Teoria Critica e Pesquisa Interdisciplinar-Sul

Profa. Dra. Luzia Batista de Oliveira Silva – Líder do Grupo TCTCLA – PPGSSE/USF),

Prof. Dra. Ana Sabrina Mora – UNLP

Profa. Dra. Mariana Saez – UNLP

Atualmente o GEFOCS desenvolve dois grandes projetos de pesquisas financiados:

 – Expressividades estéticas, decomposições imagéticas e constelações formativas em Adorno e Žižek – agencia financiadora – CNPq Edital Chamada MCTIC/CNPq Nº 28/2018 – Universal/Faixa B;

LAB-GEFOCS – Laboratório de Estudos e Pesquisa Sobre Educação, Formação Cultural e Sociedade – agencia financiadora FAPESC- Edital de Chamada Pública FAPESC/CNPQ Nº 06/2016 Apoio A Infraestrutura de CTI Para Jovens Pesquisadores;

 

Contatos

Prof. Dr. Alex Sander da Silva (Líder) – Email: alexsanders@unesc.net

Profa. Dra. Daiani Barboza (Vice-líder) – Email: daianib@gmail.com